Top X – 7 Motivos Para Ler o Mangá de Dragon Ball e Esquecer o Resto

Esta é a seção Top X, onde elaboramos um Top que pode ser sobre os mais diversos assuntos. A letra X no título é propositalmente uma incógnita, pois poderemos fazer um Top com qualquer valor.

wallhaven-141449

Bem, você já leu o título e sabe qual é o tema desse post, então antes de começar o Top quero deixar claro porque acho importante fazer essa lista. Você que está lendo esse texto já viu Dragon Ball Z? Muito provavelmente sim. E Dragon Ball? Talvez. E quanto a seus amigos? É bem provável que eles já tenham visto no mínimo Dragon Ball Z, e que muitos deles já tenham falado mal da enrolação, do exagero que era aquele anime e tudo mais. E se você era fã, ficou irritado com ele, mas se você também achava isso, falou mal junto dele. E sabe de uma coisa? Ele estava certo em muito do que disse! Agora vêm as perguntas principais: você já leu o mangá de Dragon Ball? E o seu amigo?

É muito comum vermos admiradores e haters de Dragon Ball pela internet, mas por incrível que pareça a maioria nunca leu o mangá original. O pior é que hoje o mangá, muito por causa do anime, caiu num limbo onde as pessoas ou o veneram como uma obra nostálgica de qualidade inquestionável ou o relegam como obra do passado que não tem méritos ou qualidades. Outros tantos veneram histórias extras como os filmes e OVAs, o medíocre Dragon Ball GT e o também mediano, Dragon Ball Super, além de se matarem por personagens que sequer são canônicos. Desculpa, mas se você gosta do Brolly, do Bills, do Goku Super Saiyajin 4 e do Super Saiyajin Deus, você tem muito que aprender ainda!

Agora, se você pensa que o mangá é só a versão sem cor e em quadrinhos da animação, está completamente enganado! Então se prepara porque segue 7 motivos para ler o mangá original de Dragon Ball e esquecer todo o resto.

dball01_capinha

7 – Não existem fillers

Fillers são histórias extras feitas para preencher o anime enquanto a publicação do mangá original se distancia, permitindo assim que os roteiristas da animação possam adaptar novos momentos canônicos. Resumindo, é uma encheção de linguiça. Por ser a obra original, toda essa enrolação está ausente e você verá uma narrativa muito mais lógica e coerente. Além disso, perceberá que grande parte do que viu na animação era, na verdade, os roteiristas te enrolando. Essa será uma experiência interessante e talvez até chocante.

6 – Muito menos exagero

Na versão animada sempre percebemos vários exageros, os cinco minutos de Namekusei talvez seja o símbolo maior disso. Contudo, no mangá não existe isso! Como assim? Todas as lutas são mais rápidas, a história avança muito em poucas páginas e não há espaços para exageros e enrolações.

5 – Originalidade

Ah, mas é Dragon Ball! Começou a ser publicado em 1984! Isso é verdade, ainda assim Akira Toriyama mostra no mangá um estilo de arte único, caricato e que consegue ser clássico e atual ao mesmo tempo! À época sabemos que Dragon Ball foi um grande marco e estabeleceu bases para o que hoje chamamos de Battle Shounen, mas mesmo hoje, conseguimos ver um trabalho que em certos detalhes consegue impressionar pela simplicidade e naturalidade, coisas que mangás recentes não conseguem fazer.

4 – Comédia

Ah mas o anime também é engraçado! Sim, mas as piadas do mangá soam muito mais naturais e hilárias. Por quê? Simplesmente porque o Toriyama tem um timing muito bom! Quem lê Dragon Ball percebe logo de cara que há uma sincronia muito bem feita entre as piadas e arte do autor. Quadrinização, ambientação, pacing, expressões dos personagens, tudo combina muito bem para fazer a piada soar com muita naturalidade e simplicidade.

dragon-ball-1695145

3 – Construção

A construção de mundo feita no mangá é mais um ponto muito forte. Toriyama mostra habilmente como explorar seu mundo e seus personagens sem usar o artifício do personagem expositivo, aquele que é usado para explicar ao leitor como funciona o mundo ao qual está inserido. Ele consegue explorar isso nas interações simples de seus personagens, mas que muitas vezes tem um minucioso trabalho por trás, além de usar artifícios como a quebra da quarta parede e a própria arte em si. Vale ressaltar que o mangá de Dragon Ball não tem NENHUM flashback, outro notável e fácil instrumento de explanação de mundo e personagens.

2 – Arte

Sem dúvidas um dos pontos mais fortes a favor do mangá! A arte de Toriyama é única, facilmente reconhecida, simples, clássica e ao mesmo tempo atual! Cenários ricos, personagens com expressões, variação de ângulos, pacing, enquadramento e a fluidez necessária para a leitura. Tudo isso está lá, e na medida certa para combinar com a história e a narrativa empregada pelo autor.

4548062-dragon+ball+-+v17c240+-+page+02+oozaru+punches+vegeta

1 – Dinâmica do roteiro e capacidade de entretenimento

Já citei a ausência dos fillers no Top 7 e como isso por si só já contribui muito para a lógica e coerência da narrativa. Entretanto Akira Toriyama vai além e consegue dar um grande dinamismo ao mangá! A história se desenrola num ótimo ritmo e a leitura é bastante fluida, leve e divertida, qualificando a alta capacidade de entretenimento do quadrinho.

Caso você só tenha visto o anime vai se surpreender muito ao ler o mangá, pois a diferença nesse quesito é absurda! A capacidade do Toriyama em contar muita história em poucas páginas é um notável feito. Você pode até pensar: “Mas Dragon Ball tem 42 volumes e isso é muita coisa!”. Sim, mas pense em quanta coisa acontece em Dragon Ball! Acompanhamos a vida inteira do Goku, desde uma criança até ele ser avô! Mesmo com uma história tão longa, o autor consegue torná-la dinâmica sendo simples, direto e objetivo! Acredite, o mangá de Dragon Ball é assim e esse é um dos seus maiores méritos.

Quando você terminar de ler o mangá de Dragon Ball é bem provável que pense algo como: “Nossa, fui enganado o tempo todo!”. Pronto, agora sim você conhece o verdadeiro Dragon Ball e o resto não importa mais.

Anúncios

Sobre Thiago

Um grão de areia no olho do furacão.

Publicado em 7 de outubro de 2015, em Top X e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. 9 Comentários.

  1. Barbara Bittencourt

    Excelente texto!! Dragon Ball é foda.. Fiquei com muita vontade de ler o mangá.

    Curtir

  2. ótimo texto! Eu tenho os 83 volumes meio tanko da conrad até hoje!
    Eu quase colecionei panini mas já doei alguns… não curti! Até pelas nuvenzinhas nos nudes da bulma ou papel jornal igual mangás japoneses.
    Eu leio os 42 (83) rapidinho, já lí os 80 One Piece, tenho os 59 da Panini e agradeço ao Akira Toriyama por despertar tanta coisa boa em Eiichiro Oda!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Bills é Canônico corrige ai.

    Curtir

    • Bills não é canônico, pois ele não aparece em nenhum momento do mangá. Vou além, não há qualquer citação, no mangá, que possa remeter a existência de Bills ou de um suposto Deus da Destruição.

      Curtir

  4. Ah, espero mesmo que a Panini publique aquela versão colorida de Dragon Ball, é linda! Quem sabe um dia (Que inveja dos Americanos)…

    Curtido por 1 pessoa

  5. Akira criou DBS DBMinus e Jaco, são canonicos, ele criou a história, não tem que ser parte do mangá original, são canonicos e se eu gosto do beerus ou ssj4, quer dizer que não sou fan? não, quer dizer que tenho opinião diferente e não sou fanboy genérico como vcs 🙂

    Curtir

    • Não citei que Jaco e Dragon Ball Minus não são canônicos, até porque estas são obras originais do próprio Akira Toriyama e estão inseridas no universo Dragon Ball. Se você tem problemas de interpretação de texto, não posso fazer nada.

      Já o Bills, de fato, não é canônico e não foi o Toriyama quem o criou, sabe-se apenas que ele participou da produção de Battle of Gods, nada mais do que isso. Inclusive, Toriyama deu entrevistas recentes que estava decepcionado com Dragon Ball Super e sua péssima qualidade.

      Não disse em nenhum momento que alguém que gosta de Bills ou do SSJ4 era menos fã, só disse que eles poderiam dar muito mais valor ao que realmente é bom em Dragon Ball. Mais uma vez, não tenho culpa se você tem problemas de interpretação de texto.

      Aliás, o fanboy aqui foi você que se ofendeu com algo que jamais disse. Se prestasse atenção meu texto tem como objetivo exaltar a imensa qualidade do mangá de Dragon Ball, a qualidade que ele tem de verdade. Se você não compreendeu isso ainda, possivelmente jamais leu o mangá. Recomendo que leia e entenda porque Dragon Ball é tão bom do jeito que foi feito e porque essas continuações sem sentido, motivadas apenas por empresas atrás do dinheiro que a marca Dragon Ball pode render, só servem para manchar o nome e a franquia de Akira Toriyama.

      Curtir

  6. estas errado o bills é canonico

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: